Sabia que o registo da primeira árvore de Natal a ser montada remonta ao ano 1530, na Alemanha? Esta ideia terá surgido a Martinho Lutero, o pai da igreja cristã protestante, que supostamente terá ficado impressionado com as florestas de pinheiros cobertos de neve. Por isso, decidiu juntar ramos de árvore na sua casa e decorou-os com estrelas, algodão e outros enfeites.


Porém, a verdade é que também há provas em como a tradição das árvores de Natal poderá ter começado muitos séculos antes de Lutero, com povos egípcios, gregos e germânicos pagãos. Em geral, o seu simbolismo girava em torno de um simbolismo religioso ou místico, ligado aos deuses ou, no caso dos povos pagãos, ao solstício de Inverno - até com outras árvores que não o pinheiro, como o loureiro, o abeto ou a azinheira.

Devido ao culminar de todas estas tradições, tão diferentes entre si, mas com simbolismo algo semelhante, aponta-se o século XIX como a época mais certa em que as árvores de Natal terão entrado (para ficar!) na Europa e, nos Estados Unidos, o século XX. Aliás, a árvore natalícia passou a ser um elemento que, daí em diante, passou a figurar em grandes contos de Natal e romances, não só no contexto da literatura infantil, mas também em livros de Fyodor Dostoyesvski, Lewis Carrol e, em Portugal, Sophia de Mello Breyner Andresen. Entre muitos outros, é claro!



Como enfeitar a árvore de Natal perfeita?


Parece que, quando chegamos ao fim do Outono, quase Inverno, e o tempo começa a ficar frio e chuvoso, só conseguimos pensar nas árvores de Natal que em breve serão montadas e que farão parte da nossa casa durante algumas semanas. Graças à decoração natalícia, o ambiente do nosso lar fica mais acolhedor, mesmo que fora da janela consigamos ver um temporal a formar-se.


As árvores de Natal não podem faltar em lado nenhum para um clima diferente: nem em casa, nem na rua! Antes, a tradição era cortar um pinheiro verdadeiro no pinhal, normalmente juntando a família para o acontecimento. No entanto, devido à maior consciência ambiental que se sente no século XXI, passou a ser mais comum comprar uma árvore de Natal artificial que se possa reutilizar de ano para ano.


Dentro das árvores de Natal artificiais, há todo um mundo para explorar. Desde as maiores até às mais pequenas, passando pelas que já vêm com luzes, pelas que têm galhos de várias cores de Natal (azul, prateado, vermelho, branco...), há que adequar a restante decoração ao seu aspecto inicial. Pense em iluminação, em brilhantes, estrelas, Pais Natal pequeninos, anjos, fadas, presentes em miniatura... Explore o que a imaginação lhe sugere e partilhe a decoração com os mais pequenos, encantados pela quadra.



Não há mesmo uma decoração de Natal perfeita, apenas aquela que fará parte dos seus sonhos! Saiba mais com a Misterius.