No final do ano passado, a consultora Deloitte publicou um estudo que confirmava que os portugueses previam gastar menos cerca de 195 euros, por lar, em presentes de Natal. Esta situação derivou fortemente da atual crise económica que afetou a carteira da maioria das pessoas e que, como tal, se viu obrigada a reduzir drasticamente os investimentos habitualmente realizados nas suas compras natalícias.


Sendo verdade que se verificou também um aproveitamento de artigos já utilizados em anos anteriores, como a árvore de Natal, torna-se curiosa a contínua procura àquele que se considera como um dos mais emblemáticos símbolos desta época: os presépios de Natal.



De onde surgiu a tradição dos presépios de Natal?


O presépio é uma referência cristã que remete para o nascimento de Jesus Cristo, numa gruta de Belém e que terá sido encontrado depois de José e Maria terem passado muito tempo à procura de um lugar para albergar o casal.


Esta história, que passou já milhares de anos, reverteu-se na tradição de, em quase todos os lares, se recriar a famosa manjedoura, celebrando-se assim o nascimento de Cristo.


De acordo com diversas fontes históricas, o primeiro presépio terá sido montado por São Francisco de Assis, no Natal de 1223. O presépio, realizado em argila na floresta de Greccio, teria então como objetivo explicar à população o significado do Natal e o nascimento de Jesus Cristo.


A partir do século XVIII, os presépios de Natal começaram a ser tradição em toda a Europa, generalizando-se rapidamente noutros pontos do mundo.


Apesar de poderem ser adquiridos já construídos, existem muitas pessoas que optam por fazer os seus próprios presépios de Natal, que devem incluir sempre as seguintes figuras:




  • Menino Jesus

  • Virgem Maria (mãe de Jesus Cristo)

  • José (pai de Jesus Cristo)

  • Manjedoura com palhas

  • Burro, boi, vaca, e ovelhas (animais que  representam a simplicidade do local onde Jesus terá nascido)

  • Anjos (responsáveis por anunciar a chegada de Jesus)

  • Estrela de Belém (que orientou os reis Magos até ao local em que Jesus nasceu)

  • Reis Magos (Belchior, Baltazar e Gaspar)

Em Portugal, os presépios de Natal envolvem uma tradição muito enraizada nos costumes populares, sendo a figura do Menino Jesus apenas lá colocada noite de Natal, depois da Missa do Galo.



Que tipo de presépios de Natal se pode encontrar nas lojas da especialidade?


As melhores lojas de decorações e festas apresentam uma grande variedade de presépios de Natal, que, normalmente, se inserem em duas categorias: presépios com 3 figuras (a do Menino Jesus, de José e de Maria) e com 6 figuras (em que, às anteriores, se juntam as dos reis magos).


No entanto, é ainda possível encontrar presépios de Natal mais completos, com o anjo, os animais da manjedoura, e até outros que incluem uma verdadeira aldeia da época, com ou sem iluminação.


A maioria dos presépios de Natal apresenta-se em cerâmica ou cortiça, com acabamentos de bastante qualidade, o que garante uma maior durabilidade e resistência deste artigo decorativo - junto ao qual a maioria das casas portuguesas coloca os presentes que serão abertos a 25 de Dezembro.


Os preços dos presépios de Natal é bastante variável, mas é possível encontrá-los a valores bastante acessíveis à maioria das bolsas portuguesas.

Os grandes apaixonados pelo espírito natalício podem ainda adquirir musgo ou neve falsos, para melhor representar o ambiente da manjedoura onde Jesus Cristo nasceu, atribuindo assim aos seus lares um verdadeiro e impactante espírito natalício.


Como o Natal se está a aproximar, é normal que a maioria das pessoas comece já a pensar nesta época festiva, iniciando os preparativos da casa que irá acolher toda a família mais chegada.



Se este é o seu caso e se gostava de receber no seu lar um dos mais bonitos presépios de Natal, visite uma das mais conceituadas e credíveis lojas de artigos de festas e decoração.