O ilusionismo é uma arte milenar, cuja origem remonta ao antigo Egipto, e que encanta gerações até aos dias de hoje. Não há ninguém que não tenha, pelo menos durante a infância, tentado executar os truques de magia mais clássicos dos grandes mestres do ilusionismo.

Ensinar à pequenada como fazer ilusões básicas é uma excelente ideia para os entreter. Mas se ainda não se aventurou a fazê-lo porque não sabe que truques de magia escolher, aproveite as dicas que lhe vamos dar seguidamente e monte um mini-espectáculo com os seus ilusionistas mirins. Vamos ainda explicar-lhe, de forma breve, como é que os ilusionistas conseguem «fintar» o nosso cérebro com práticas simples.

Truques de magia clássicos simples, mas impressionantes

Umas das ilusões mais clássicas e fáceis de se executar é a do desaparecimento da moeda. Mas apesar de ser um dos truques de magia mais simples, é o ideal a introdução posterior à mágica avançada, e é também a base de outros truques que envolvem desaparecimentos de objectos

Quando já dominar com destreza esta versão básica, tente fazer o mesmo com outros objectos pequenos. Aqui ficam então a instruções para ser bem sucedido neste tipo de truques de magia:
Mostre a moeda ao público. Deixe-a à mostra para os espectadores entre o polegar e o indicador.Use a outra mão para cobrir totalmente a moeda. Traga a outra mão na parte da frente da moeda e cubra-a com os dedos, como se fosse agarrá-la entre o polegar e os restantes dedos. Enquanto a outra mão cobre a moeda, faça com que ela escorregue suavemente entre os dedos da primeira mão até que ela fique no dedo mindinho e seja presa no lugar com a ajuda dos dedos médio e anelar.

Retire a outra mão da frente da primeira. A sua primeira mão deve agora parecer vazia, apesar de a moeda estar secretamente escondida entre os seus dedos. Faça questão de mostrar que está a fechar a outra mão para pegar na moeda, e em seguida mostre a mão vazia para ao público.Enquanto a atenção da audiência estiver focada nessa mão, faça a moeda escorregar para a palma da primeira, e mantenha-a lá, certificando-se de que não dá para ninguém a notar. Se o truque for bem executado, vai parecer que a moeda simplesmente desapareceu magicamente.

Mas como é que o nosso cérebro consegue ser enganado de forma tão simples?

Os mágicos aproveitam algumas falhas do nosso cérebro para conseguir levar as performances a bom porto. Se os  ilusionistas forem suficientemente habilidosos, aproveitam os seguintes factores de forma engenhosa e conseguem literalmente enganar a nossa mente:

-Focos e distrações

O nosso cérebro não consegue focar-se numa tarefa por muito tempo, pois somos altamente susceptíveis a diferentes tipos de distracções. Quando um mágico está a fazer truques à nossa frente, normalmente prestamos atenção aos elementos mais claros e óbvios da execução, facto que faz com que certas acções nos passem despercebidas. Uma actuação complementada com uma boa história ou um componente de humor é o suficiente para nos ludibriar.

Ilusão dos próprios olhos

Um efeito denominado«pós-imagem» pode enganar os olhos facilmente. Ao olhar fixamente para um local e, instantes depois,para outro, podemos ter a percepção de resquícios das imagens anteriores – como aqueles truques em que temos que olhar para um ponto específico e de pois para uma parede completamente branca. Um mágico pode fazer uso dessa falha para mudar itens de mãos sem que seja apanhado.

Atenção do cérebro

Sempre que o cérebro vê algo diferente ou emocionante passa a analisar o elemento com maior importância. Este processo é chamado «captura de atenção oxógena» e faz com que olhemos para certas coisas com maior minúcia, esquecendo-se dos outros elementos que estão presentes na mágica – uma óptima falha para ser aproveitada truques de magia escondidos.

Para ficar ainda mais por dentro do mundo das artes mágicas, visite www.misterius.pt