As luzes de natal
 dão intensidade e brilho à festa e, entre outras coisas, bons motivos para reunir a família. Em vésperas de natal tudo se transforma numa azafama, juntam-se pais, filhos, avós, primos, tios e, até amigos. Bom, festa de natal que se preze tem que incluir uma preparação prévia.

Multiplicam-se as tertúlias para preparar menus natalícios, lista de prendas e, não menos importante, descobrir todos os materiais para abrilhantar a festa. Pois, mas nem sempre é tarefa fácil.

Os adereços das festividades do ano anterior 


Como bem sabemos, festa é festa e, sempre que existe oportunidade lá vamos nós abrir o baú de anos anteriores e retirar de lá todos os adereços possíveis e imagináveis. Julgamos sempre que o pinheirinho, as luzes de natal e tantas outras coisas estão ainda em bom estado de conservação, até porque, no final das festividades do ano anterior, fazemos sempre questão de os acondicionar de uma forma que julgamos correcta. Ou talvez não!?


Bem, tradição é tradição e, nesta caixa encontramos, as bolas, na pequena que já foi de sapatos as fitas coloridas e brilhantes, na outra o presépio e, naquela outra as luzes de natal, sem esquecer a carismática estrela de natal que ocupa posição suprema no pinheirinho.


Ficamos ansiosamente à espera de encontrar tudo intacto e em grande forma. Pois claro, não queríamos mais nada! Quantas vezes as caixas já mudaram de sitio, e quantas coisas pesadas já lhes colocamos em cima sem querer? Claro que já passou por este tipo de experiência relativamente desagradável.


Então vejamos o que é vulgar acontecer:




  • Bolas partidas, sem cor ou sem argola de suporte;

  • Fitas esmagadas e sem graça;

  • Presépio incompleto ou danificado (onde será que foi parar o menino jesus?);

  • A estrela com menos pontas;

  • As luzes de natal só acenderam uma vez...

E tudo volta ao princípio. Lá vai ter que tentar perceber rapidamente o que se aproveita, o que deve ser comprado, como, quando e onde?



Volta o entusiasmo, a tradição e os preparativos


O ritual repete-se principalmente de noite, depois de um dia de trabalho e de escola. Trata-se de uma espécie de celebração partilhada um por todos e, em certa medida, antecipada. Todos os objectos são minuciosamente analisados e pensados para colocação nos mais diversos locais. A árvore de natal naquele canto próprio, mais perto ou mais longe da janela da sala.


As fitas na lareira, ou, naquele móvel específico, o pai natal pendurado na chaminé, as luzes de natal na árvore e talvez um pouco por toda a casa:


- Cuidado que as bolas de natal são frágeis - atiram uns


- Atenção que essas velas não devem estar tão perto das fitas - alertam outros


- E agora as luzes de natal não acendem - refilam os mais pequenos


As motivações de outros tempos vão-se alterando, ou melhor, vão-se adaptando aos paradigmas do novo tempo. Manter o espírito de partilha em família cumprindo tradições culturais, permite solidificar conceitos e valores. Permite sobretudo, manter ensinamentos ancestrais que nos caracterizam e distinguem de outros povos com uma história mais curta e, manifestamente mais desinteressante.


Saiba que vale a pena celebrar em família ou junto de amigos. Nem que para tal, sirva o pretexto de recriar as decorações da festa de natal.



Saiba mais com a Misterius